Escrita poética
Biobibliografia
Entrevistas
Textos
Escrita poética
Biobibliografia
Entrevistas
Textos
ALEIXO, Ricardo. Uma poesia sem pai nem. Jaguadarte, blog, 2006.

AMARAL, Ana Luísa.
Da falta ou do excesso: fabricar o poético. Posfácio ao livro A fábrica do feminino (2008).

AMARANTE, Dirce Waltrick.
Paula Glenadel busca diálogos com a arte contemporânea em ‘Rede’. O Globo, Livros, 16/05/2015. Resenha do livro Rede (2014).

CARPEGGIANI, Schneider.
A ilustre desconhecida Paula Glenadel.
Jornal do Commercio, 12/09/2006.

CARVALHO, Luiz Fernando Medeiros de. Modulações do contratempo.
Prefácio ao livro
A vida espiralada (1999).

CARVALHO, Luiz Fernando Medeiros de & OLIVEIRA, Adriano
Brandão de. A fábrica de mente. CES Revista v. 27, n. 1. Juiz de Fora, Jul/dez. 2013.

CARVALHO, Luiz Fernando Medeiros de
& BRASILEIRO, Cristiane.
A metamorfose do luto. Jornal do Brasil, 10/12/2005. Resenha do livro Quase uma arte (2005).

CARVALHO, Luiz Fernando Medeiros de & BRASILEIRO, Cristiane. Jogo decisivo. Educação pública, revista on line da fundação Cecierj, 2010. Resenha do livro A fábrica do feminino (2008).

DIAS, Ângela Maria
. O engasgo da fábrica: do feminino na poesia de Paula Glenadel. Revista Convergência Lusíada n. 28 (jul./ dez. 2012).

FERRAZ, Heitor
. Visões do feminino.
Trópico, 17/10/2009. Dossiê Poesia brasileira.

LEMOS, Masé. A Mecânica Lírica. Alguns Objectos Contemporâneos.
Poesia, Natureza e Técnica. Revista eLyra n. 3 (2014), publicada pela rede de investigação internacional LyraCompoetics.

LIMA, Manoel Ricardo de. Nem todas as coisas ditas.
Jornal do Brasil, 02/06/2005.

LIMA, Manoel Ricardo de
.
A fábrica do feminino. Diário do Nordeste, 27/02/2009.
MACHADO, Carlos. Quase uma arte. Boletim poesia.net, 12/10/2005.

MEDEIROS, Sérgio.
Contemporâneo, livro de Paula Glenadel tenta capturar o mundo de hoje. O Estado de São Paulo, Cultura/ Literatura, 11/04/2015. Resenha do livro Rede (2014).

MÜLLER, Adalberto. A arte do nada.
Correio Braziliense, 30/07/2005. Resenha do livro Quase uma arte (2005).

OSEKI, Inês. Paula Glenadel por Inês Oseki. Ciranda da poesia. EdUERJ, 2015.

PILATI, Alexandre
. A lama da modernização. Estudo sobre os poemas de A vida espiralada, de Paula Glenadel.
Blog Alexandre Pilati, 2010.

SÁ, Sérgio
. Máquina precária.
Correio Braziliense, 13/06/2009. Sobre o livro A fábrica do feminino (2008).

S
CRAMIN, Susana. Sobre formas de vida e de morte. Poesia, Natureza e Técnica. Revista eLyra n. 3 (2014), publicada pela rede de investigação internacional LyraCompoetics.
SISCAR, Marcos Antonio. O animal que se desconhece. Prefácio ao livro Quase uma arte (2005).

TORRES, Maximiliano. As incursões de Eros no cenário da poesia carioca contemporânea: Christina Ramalho, Paula Glenadel, Sylvia Cintrão, Ângela Montez, Ângela Maria Carrocino, Maria Dolores Wanderley, Denisis Trindade.
Além do cânone: vozes femininas cariocas estreantes na poesia dos anos 90. Org. Helena Parente Cunha. RJ: Edições Tempo Brasileiro, 2004.

TORRES, Maximiliano.
As faces de Pandora na construção simbólica do feminino e a literatura escrita por mulheres como quebra de paradigma (os casos Narcisa Amália e Paula Glenadel). Violência simbólica e estratégias de dominação.Org. Helena Parente Cunha. RJ: Ed. da Palavra e PPG em Ciência de Literatura da UFRJ, 2011.

Site Map